A cidade das luzes é o charme de todo o nosso mundo. Não é de se admirar que Porter, Hemingway, T.S Eliot, Picasso, Dalí e tantos outros escritores e artistas, tiveram em Paris suas motivações e inspirações. Paris é encanto aos olhos. No século XVII, ela era a capital da maior potência política europeia; no século XVIII, era o centro cultural da Europa, cuja efervescência durante o Iluminismo lhe deu o título de Cidade Luz; e no século XIX, era a capital da arte e do lazer, o ícone da Belle Époque. Sua arquitetura, seus parques, suas avenidas e seus museus fazem-na, pelo Ana fizeram no de 2004, a cidade mais visitada do mundo francófono, com cerca de 25 milhões de turistas, As margens parisienses do Rio Sena foram inscritas, em 1991, na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO. Paris é um vislumbre de glamour e simplicidade ao mesmo tempo.

Para nós – Igreja de Florianópolis – a cidade tem um motivo especial. Paris é o nosso início. Foi nela que em 2009 o nosso querido irmão Thiago Braglia teve a primeira experiência de orar e clamar por uma Nação inteira. Foi bem ali, aos pés da Torre Eiffel, que o Senhor revelou o peso de intercessão e de clamor pelas nações para a IF. Logo depois, no retiro de jovens do mesmo ano, o Senhor Deus nos deu alguns lugares específicos no globo para irmos até eles para clamar e interceder (o que temos feito com zelo até hoje).

Em 2010 o Thiago voltou a Paris, mas não sozinho, dessa vez eu e mais uma irmã da igreja o acompanhamos. Visitamos muitos locais e oramos em pontos estratégicos pela Nação. A cidade carece do evangelho, mas as poucas igrejas evangélicas que possui, servem de abrigo, esperança e avivamento para a cidade. A igreja na cidade é comovente –, muitos membros são estrangeiros que buscam na cidade trabalho, moradia e sustento. Paris oferece muitas oportunidades, mas poucos são os que possuem a certificação necessária de permanência na França. Quando estivemos lá, visitamos algumas igrejas. A maior igreja de Paris é composta de membros de nações africanas.  Lá nós oramos, clamamos e intercedemos aos céus para que o avivamento fosse capaz de alcançar aquela igreja e outras na cidade. O culto daquela tarde foi marcado por um grande mover do Espírito Santo – não houve sermão – o Espírito Santo falava através do Pastor da Igreja que era interpretado em várias línguas (inclusive o português). A igreja adorava e aplaudia de pé. O Senhor trouxe uma palavra de confirmação ao que nós estávamos fazendo naquela terra – O Espirito Santo falava para acendermos labaredas de fogo naquele local. Assim, tochas com a presença de Deus foram acesas nas igrejas e em muitos outros locais de Paris.

Um ano depois, retornamos com parte da Igreja de Florianópolis para a Cidade Luz. A atmosfera já começou a mudar. A maior igreja cresceu tanto que mudou de local, para um prédio grande com capacidade para 8 mil pessoas. Até a Hillsong que antes se reunia no  MAS Center ou em outros teatros menores da cidade, agora já se reúne no  grande Teatro Bobino em Montparnasse e a igreja cresce cada vez mais. A presença de Deus está em Paris.

Nessa visita à cidade, além de irmos à Disney, jantarmos em ótimos restaurantes, fazermos vários passeios, conhecer os museus, etc, nada se compara aos cultos que realizamos. Em Paris, assim como em Jerusalém e outras cidades da Europa, não é possível manifestar a fé publicamente, mas nos foi proporcionado realizar dois cultos ao redor da Torre Eiffel. Foram momentos de choro e de quebrantamento naquele lugar tão lindo e ao mesmo tempo tão frio espiritualmente. Adoramos ao Senhor, O louvamos com ações de graça e júbilo e profeticamente exercemos o nosso chamado naquela cidade. Paris ainda precisa de nossas orações, mas aos poucos, a graça do Senhor está abraçando a cidade e é notório que grandes coisas estão por acontecer. O tempo do despertamento espiritual começou. Que Paris seja alcançada.

 

- Israel Braglia