O que você faz com as suas perdas diante de Deus?

Durante a conferência profética Athar a pastora Lu Braglia ministrou sobre as dracmas perdidas. Dracmas eram moedas. Cada moeda possuía um valor – para uns era alto, para outros era baixo. Mas o que importava é que tinham valor. Perde-las era perder valor:

“Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende”. (Lucas 15.8-10).

Nesta passagem, uma mulher havia recebido 10 dracmas, mas perdeu uma. Algumas pessoas poderiam ter pensado que a perda não tinha sido grande – era apenas uma moeda. Mas aquela mulher parou tudo o que estava fazendo, acendeu a candeia em sua casa, levantou todos os móveis, varreu, limpou e enquanto fazia isso, a encontrou.  Ela provavelmente havia recebido aquelas moedas de Jesus. Ela perdeu uma moeda apenas, mas ela sabia que se perdesse uma, perderia as outras nove. Desse modo, passou a procura-la até encontra-la. Quando a encontrou, ela ofereceu uma festa para as suas amigas. Ela achou o que havia perdido de Deus. Para as amigas dela não haveria razão para a festa, talvez, pois era uma comemoração pelo encontro de uma moeda apenas, mas para a mulher portadora da moeda, era o que ela encontrou de Deus, novamente. O verso 10 encerra a parábola relatando que os anjos se alegram quando um pecador se arrepende.

Arrependimento de pecado é o que falta à Noiva. Podemos ter muitos pastores como Igreja de Deus, mas a Noivo vem em busca da Noiva – limpa, pura. Perdemos o que Deus nos deu e nem nos demos conta. Perdemos pois pecamos.  Agora é hora de parar tudo, acender as candeias (tochas) e fazer uma varredura para encontrar o que foi perdido. É hora de limpar a casa.

– O que eu fiz quando eu percebi o que eu tinha perdido? – essa é uma pergunta pessoal.

A verdade é que perdemos o que Deus nos deu e a nossa postura tem sido de conformismo e comodismo. O que tem valor para a nossa vida, iremos procurar. Um exemplo é o cartão de crédito. Quando nos damos consciência que perdemos um cartão de crédito, paramos tudo, entramos em contato com o banco para o cancelarmos, e na maioria das vezes, voltamos aos últimos lugares por onde passamos afim de encontra-lo novamente. Cartões possuem valor. Se não pararmos tudo o que estamos fazendo no momento, seja o que for ou em que circunstância for, perderemos mais valor. Com a perda, cada segundo é crucial para a perda, pois quem o encontrou pode estar realizando compras com ele – seja em departamentos ou online. Cada minuto sem ele, maior pode ser a perda.

Mas podemos citar outro exemplo. Durante a conferência, a Elisa havia perdido os seus óculos novos. Na verdade, ela se deu conta que o perdeu já na madrugada, após o culto. Ela foi para o seu quarto no hotel e percebeu a perda. Naquele instante ela revirou as suas coisas pelo quarto, parou e começou a pensar onde poderia estar os óculos. Onde eles estariam? Ela então pensou nas últimas vezes que estava com ele e chegou à conclusão que possivelmente o havia deixado sobre a mesa de centro da recepção do hotel. Prontamente ela ligou para a recepção e lá ele estava – guardado. Ela o havia perdido no início da conferência.

Coisas como essas nos fazem parar tudo. Quando perdemos algo de valor para nós, ficamos tristes e passamos a tentar encontra-la. Mas o que Deus nos deu? O que fazemos? O que fazemos com aquilo que perdemos em Deus?

Só iremos entrar no céu se não estivermos em iniquidade. A salvação se perde. Não entra sujeira no céu. Se eu e você estivermos sujos, não entraremos nos céus. Eu e você podemos ser tentados sim, mas também podemos resistir ao inimigo. Passar a espada (Efésios 6) não é resistir. Para resistir eu preciso estar na Presença.  Se eu não estiver na Presença, como Jesus estava, a minha guerra não valerá nada. Se eu não estou na Presença Dele, o pecado passa a ser parte da minha presença. O que manterá o diabo longe de mim é a Presença Dele na minha vida.

O pecado oculto dá legalidade para satã atuar em minha mente e ele passa a me fazer acostumar com uma ideia falsa sobre o pecado. Ele torce a graça em libertinagem. Transforma a iniquidade em perdão sobre todas as coisas friamente pensadas e atitudes erradas.

Como igreja, possuímos 10 dracmas que foram perdidas ao longo da nossa jornada e não nos demos conta. Perder cada uma delas implicará na perda da salvação.

AS DRACMAS PERDIDAS

1. FIDELIDADE

É perdida com o pensamento “ninguém está vendo”. Quando eu perco a minha fidelidade para com Deus, a minha vida fica interrompida. Perder a fidelidade é pecar conscientemente.

2. VONTADE DE AGRADAR A DEUS

Com a fidelidade perdida, com pecados encobertos, perco a vontade de agradar a Deus. Paro de alimentar o Espírito e perco a vontade de orar, de buscar ao Senhor, de adorar, de servir… Eu não alimento o Espírito Santo e ele morre de inanição dentro de mim. A infidelidade me tira toda a vontade do Reino.

3. ARREPENDIMENTO

Sem o arrependimento, o meu coração passa a ficar endurecido diante de Deus. Com fui infiel e como estou sem vontade de agradá-lo e de fazer a Sua vontade do Reino, eu passo a me fechar e a me acostumar com o mundo passando a concordar com o mesmo, minimizando o meu pecado. Sem arrependimento eu me conformo com o mundo. Arrependimento é angústia. Sem a angústia pelo o que é correto não existe arrependimento, existe “ – me desculpa, tá?!” O arrependimento é uma sensação de sujeira insuportável, é uma necessidade de “banho”, de querer entrar no Rio de Deus para se lavar.

4. SANTIDADE

Com a perda do pecado e do arrependimento, perde-se a santidade. Mas ela é algo que não se pode perder. Quando se perde a santidade, a verdade se vai e passamos a viver a mentira. O diabo é o pai da mentira – ele mascara a santidade com a mentira. Quando a perdemos, passamos a viver uma vida de engano. Um exemplo disso são os altares das igrejas católicas: “santos” no altar. Lá se tem ídolos mascarados de santos, pois a vontade e a verdade de Deus é a de que sobre o altar deve haver santidade. O diabo distorce a verdade, mas ela é eterna: Deus quer santos sobre o Seu altar. Santidade possui um lugar – o altar de Deus, se a perdemos, perdemos o altar do Senhor.

5. VERDADE

Sem a santidade, perde-se a verdade. Se eu a perco, perco o Reino e nada mais tem valor. A depravação se torna a minha vida de mentira. Torno-me um devasso. A verdade liberta. Perder a Verdade é perder a libertação – a liberdade. Passo a viver sobre o jugo de escravidão do pecado, novamente.

6. CAPACIDADE DE FALAR COM DEUS – ORAÇÃO

A oração expõe o pecado. Deus é Santo. O pecado gera barreira entre nós e Deus. Se Cristo é a Verdade e se perdemos a verdade, então perdemos a conexão com Deus. Ficar sem falar com Deus e sem se chegar ao Seu altar, torna-nos sozinhos – você com você mesmo e eu comigo mesmo. Perdemos a identidade de comunhão com o Pai e nos tornamos suficientes solitários abandonados por conta própria. Precisamos ser o Israel de Deus e termos a revelação do que Deus queria para Israel – um povo escolhido, um povo santo. O Senhor tem necessidade de santos no altar e sempre se demonstrou um Deus de diálogo com o Seu povo. Se perdermos a capacidade de nos comunicarmos em Ele, perdemo-lo em todos os aspectos.

7. HUMILDADE

Perder a comunhão com Deus implica também em perder a humildade de espírito. Sem a humildade, não aceitamos a exortação dos próximos, as disciplinas e passamos a nos bastar. Tornamo-nos avessos à exortação a nós mesmo. Quando isso ocorre, vem sobre nós o espírito de crítica sobre todos e criamos inimizades.

8. VERGONHA

Perder essas dracmas é iniciar um processo de envergonhar a Noiva e o Nome de Deus. Perco a vergonha do pecado, dos meus atos e de mim mesmo. A Igreja pode ter muitos pastores, mas a Noiva tem um Noivo. Não podemos brincar com a Noiva, pois o Noivo vem e vai lutar por ela. Isto significa que Deus virá contra aqueles que envergonham a Sua Noiva. Se eu a envergonho e se eu envergonho o Seu Nome, ele virá contra mim. Não há saída.

9. TEMOR

Quando não temos mais vergonha, perdemos o temor. A partir daí pode acontecer qualquer coisa. Estamos longe de Deus. O Senhor disciplina a quem Ele ama, mas se perdemos o temor, O perdemos. Perdemos tudo. Quando perdemos o temor, nos tornamos sínicos, promíscuos, feiticeiros e rebeldes.

10. JUÍZO

Com a perda de todas essas dracmas, perdemos o nosso próprio juízo. O diabo que nos tirou tudo, quer nos enlouquecer e nos amaldiçoar com todas essas maldições:

“…então virão sobre ti todas estas maldições, e te alcançarão: Maldito serás tu na cidade, e maldito serás no campo. Maldito o teu cesto e a tua amassadeira. Maldito o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e as crias das tuas vacas, e das tuas ovelhas. Maldito serás ao entrares, e maldito serás ao saíres. O Senhor mandará sobre ti a maldição; a confusão e a derrota em tudo em que puseres a mão para fazer; até que sejas destruído, e até que repentinamente pereças, por causa da maldade das tuas obras, pelas quais me deixaste. O Senhor fará pegar em ti a pestilência, até que te consuma da terra a que passas a possuir. O Senhor te ferirá com a tísica e com a febre, e com a inflamação, e com o calor ardente, e com a secura, e com crestamento e com ferrugem; e te perseguirão até que pereças. E os teus céus, que estão sobre a cabeça, serão de bronze; e a terra que está debaixo de ti, será de ferro. O Senhor dará por chuva sobre a tua terra, pó e poeira; dos céus descerá sobre ti, até que pereças. O Senhor te fará cair diante dos teus inimigos; por um caminho sairás contra eles, e por sete caminhos fugirás de diante deles, e serás espalhado por todos os reinos da terra. E o teu cadáver servirá de comida a todas as aves dos céus, e aos animais da terra; e ninguém os espantará. O Senhor te ferirá com as úlceras do Egito, com tumores, e com sarna, e com coceira, de que não possas curar-te; O Senhor te ferirá com loucura, e com cegueira, e com pasmo de coração; E apalparás ao meio-dia, como o cego apalpa na escuridão, e não prosperarás nos teus caminhos; porém somente serás oprimido e roubado todos os dias, e não haverá quem te salve.

Desposar-te-ás com uma mulher, porém outro homem dormirá com ela; edificarás uma casa, porém não morarás nela; plantarás uma vinha, porém não aproveitarás o seu fruto. O teu boi será morto aos teus olhos, porém dele não comerás; o teu jumento será roubado diante de ti, e não voltará a ti; as tuas ovelhas serão dadas aos teus inimigos, e não haverá quem te salve. Teus filhos e tuas filhas serão dados a outro povo, os teus olhos o verão, e por eles desfalecerão todo o dia; porém não haverá poder na tua mão. O fruto da tua terra e todo o teu trabalho, comerá um povo que nunca conheceste; e tu serás oprimido e quebrantado todos os dias. E enlouquecerás com o que vires com os teus olhos.

O Senhor te ferirá com úlceras malignas nos joelhos e nas pernas, de que não possas sarar, desde a planta do teu pé até ao alto da cabeça. O Senhor te levará a ti e a teu rei, que tiveres posto sobre ti, a uma nação que não conheceste, nem tu nem teus pais; e ali servirás a outros deuses, ao pau e à pedra. E serás por pasmo, por ditado, e por fábula, entre todos os povos a que o Senhor te levará. Lançarás muita semente ao campo; porém colherás pouco, porque o gafanhoto a consumirá. Plantarás vinhas, e cultivarás; porém não beberás vinho, nem colherás as uvas; porque o bicho as colherá. Em todos os termos terás oliveiras; porém não te ungirás com azeite; porque a azeitona cairá da tua oliveira.

Filhos e filhas gerarás; porém não serão para ti; porque irão em cativeiro. Todo o teu arvoredo e o fruto da tua terra consumirá a lagarta. O estrangeiro, que está no meio de ti, se elevará muito sobre ti, e tu mais baixo descerás; Ele te emprestará a ti, porém tu não emprestarás a ele; ele será por cabeça, e tu serás por cauda. E todas estas maldições virão sobre ti, e te perseguirão, e te alcançarão, até que sejas destruído; porquanto não ouviste à voz do Senhor teu Deus, para guardares os seus mandamentos, e os seus estatutos, que te tem ordenado; E serão entre ti por sinal e por maravilha, como também entre a tua descendência para sempre.

Porquanto não serviste ao Senhor teu Deus com alegria e bondade de coração, pela abundância de tudo. Assim servirás aos teus inimigos, que o Senhor enviará contra ti, com fome e com sede, e com nudez, e com falta de tudo; e sobre o teu pescoço porá um jugo de ferro, até que te tenha destruído. O Senhor levantará contra ti uma nação de longe, da extremidade da terra, que voa como a águia, nação cuja língua não entenderás; Nação feroz de rosto, que não respeitará o rosto do velho, nem se apiedará do moço; E comerá o fruto dos teus animais, e o fruto da tua terra, até que sejas destruído; e não te deixará grão, mosto, nem azeite, nem crias das tuas vacas, nem das tuas ovelhas, até que te haja consumido; E sitiar-te-á em todas as tuas portas, até que venham a cair os teus altos e fortes muros, em que confiavas em toda a tua terra; e te sitiará em todas as tuas portas, em toda a tua terra que te tem dado o Senhor teu Deus.

E comerás o fruto do teu ventre, a carne de teus filhos e de tuas filhas, que te der o Senhor teu Deus, no cerco e no aperto com que os teus inimigos te apertarão. Quanto ao homem mais mimoso e delicado no meio de ti, o seu olho será maligno para com o seu irmão, e para com a mulher do seu regaço, e para com os demais de seus filhos que ainda lhe ficarem; De sorte que não dará a nenhum deles da carne de seus filhos, que ele comer; porquanto nada lhe ficou de resto no cerco e no aperto, com que o teu inimigo te apertará em todas as tuas portas. E quanto à mulher mais mimosa e delicada no meio de ti, que de mimo e delicadeza nunca tentou pôr a planta de seu pé sobre a terra, será maligno o seu olho contra o homem de seu regaço, e contra seu filho, e contra sua filha; E isto por causa de suas páreas, que saírem dentre os seus pés, e para com os seus filhos que tiver, porque os comerá às escondidas pela falta de tudo, no cerco e no aperto, com que o teu inimigo te apertará nas tuas portas.

Se não tiveres cuidado de guardar todas as palavras desta lei, que estão escritas neste livro, para temeres este nome glorioso e temível, o SENHOR TEU DEUS, Então o Senhor fará espantosas as tuas pragas, e as pragas de tua descendência, grandes e permanentes pragas, e enfermidades malignas e duradouras; E fará tornar sobre ti todos os males do Egito, de que tu tiveste temor, e se apegarão a ti. Também o Senhor fará vir sobre ti toda a enfermidade e toda a praga, que não está escrita no livro desta lei, até que sejas destruído. E ficareis poucos em número, em lugar de haverem sido como as estrelas dos céus em multidão; porquanto não destes ouvidos à voz do Senhor teu Deus.

E será que, assim como o Senhor se deleitava em vós, em fazer-vos bem e multiplicar-vos, assim o Senhor se deleitará em destruir-vos e consumir-vos; e desarraigados sereis da terra a qual passais a possuir. E o Senhor vos espalhará entre todos os povos, desde uma extremidade da terra até à outra; e ali servireis a outros deuses que não conheceste, nem tu nem teus pais; ao pau e à pedra. E nem ainda entre estas nações descansarás, nem a planta de teu pé terá repouso; porquanto o Senhor ali te dará coração agitado, e desfalecimento de olhos, e desmaio da alma. E a tua vida, como em suspenso, estará diante de ti; e estremecerás de noite e de dia, e não crerás na tua própria vida. Pela manhã dirás: Ah! quem me dera ver a noite! E à tarde dirás: ah! quem me dera ver a manhã! pelo pasmo de teu coração, que sentirás, e pelo que verás com os teus olhos. E o Senhor te fará voltar ao Egito em navios, pelo caminho de que te tenho dito; nunca jamais o verás; e ali sereis vendidos como escravos e escravas aos vossos inimigos; mas não haverá quem vos compre”.

(Deuteronômio 28.15b-68).

Perder todas as dracmas é perder o juízo e declarar a própria maldição de Deus sobre nós. Alguns podem ter perdido apenas uma dracma como a mulher da parábola, mas não parar tudo para recuperá-la é não dar importância ao valor que ela possui, e, aos poucos, se perderá as outras dracmas também. Perde-las é catástrofe premeditada e ignorada.

AS DRACMAS PODEM SER ENCONTRADAS NOVAMENTE

Eu posso recomeçar a minha vida com Deus em athar – clamando, suplicando diante do Seu altar – ordenando ao diabo para sair da minha mente, me fazendo valente frente aos inimigos da minha alma, lutando contra a minha carne e fortalecendo o meu espírito.

Os remanescentes demonstram um arrependimento que os alça à posição de serem chamados “Meu Povo” em II Crônicas 7.14. Deus fala através de Isaías qual o motivo do Povo estar sendo levado cativo em Isaías 5.13: “Portanto o meu povo é levado cativo, por falta de entendimento”.

Por falta de sabedoria e entendimento o povo se corrompe. A igreja carece de sabedoria em nossos dias por falta de temor. Conforme Provérbios 1.7 “o temor do Senhor é o princípio da sabedoria”.  A falta de temor leva ao pecado – a apostasia.  É preciso voltar às raízes do temor ao Eterno. Para isso não há outro diagnóstico: de acordo com a Palavra de Deus é preciso buscar ao Senhor, orar, clamar e peticionar diante Dele (athar).

Para recuperar as dracmas é preciso clamar pela recuperação do temor e da fidelidade diante de Deus. É preciso estar em Sua presença. Quando as encontrarmos, seremos abençoados com estas bênçãos:

“SENHOR teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra.
E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, quando ouvires a voz do Senhor teu Deus:
Bendito serás na cidade, e bendito serás no campo.
Bendito o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e o fruto dos teus animais; e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas.
Bendito o teu cesto e a tua amassadeira.
Bendito serás ao entrares, e bendito serás ao saíres.
O Senhor entregará, feridos diante de ti, os teus inimigos, que se levantarem contra ti; por um caminho sairão contra ti, mas por sete caminhos fugirão da tua presença.
O Senhor mandará que a bênção esteja contigo nos teus celeiros, e em tudo o que puseres a tua mão; e te abençoará na terra que te der o Senhor teu Deus.
O Senhor te confirmará para si como povo santo, como te tem jurado, quando guardares os mandamentos do Senhor teu Deus, e andares nos seus caminhos.
E todos os povos da terra verão que é invocado sobre ti o nome do Senhor, e terão temor de ti.
E o Senhor te dará abundância de bens no fruto do teu ventre, e no fruto dos teus animais, e no fruto do teu solo, sobre a terra que o Senhor jurou a teus pais te dar.
O Senhor te abrirá o seu bom tesouro, o céu, para dar chuva à tua terra no seu tempo, e para abençoar toda a obra das tuas mãos; e emprestarás a muitas nações, porém tu não tomarás emprestado.
E o Senhor te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás em cima, e não debaixo, se obedeceres aos mandamentos do Senhor teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir.
E não te desviarás de todas as palavras que hoje te ordeno, nem para a direita nem para a esquerda, andando após outros deuses, para os servires”.

(Deuteronômio 28.1b-14).
Vamos encontrar nossas dracmas perdidas.

 

 _Pr. Israel Braglia

 

Igreja de Florianópolis – Proclamando a Verdade