Conf Profetica16 Pub

Ele os batizará com o Espírito Santo e com fogo

/// TEXTO BASE

Vim trazer fogo à terra, e como gostaria que já estivesse aceso!
Mas tenho que passar por um batismo, e como estou angustiado até que ele se realize! [Lucas 12.49-50].

Eu os batizo com água para arrependimento. Mas depois de mim vem alguém mais poderoso do que eu, tanto que não sou digno nem de levar as suas sandálias. Ele os batizará com o Espírito Santo e com fogo. Ele traz a pá em sua mão e limpará sua eira, juntando seu trigo no celeiro, mas queimará a palha com fogo que nunca se apaga [Mateus 3.11-12].

/// APRESENTAÇÃO TEMÁTICA

O CAIS DE FOGO E A CONQUISTA DE CANAÃ

Fogo e guerra sempre andaram juntos. A crueldade dos homens levou-os a usar o fogo contra seus inimigos. O fogo é muito eficaz para infligir intensos sofrimentos, pondo um fim rápido a qualquer resistência. O diabo e seus demônios no sheol (inferno) sofrem pelo fogo. Nos relatos bíblicos, tochas inflamadas eram comumente lançadas contra as instalações do inimigo. Isso explica o uso de tochas no ataque de Gideão contra o acampamento dos midianitas, em Juízes 7.16 (tochas para destruir os altares de Baal). Muitas cidades eram incendiadas e multidões pereciam em meio às chamas. A história mostra que muitas pessoas foram envolvidas nesta forma de destruição. No Antigo Testamento podemos ler sobre os incêndios que destruíram Jericó, Ai, as aldeias benjamitas, o templo em Jerusalém e tantos outros. Era costume incendiar o equipamento militar do inimigo e não meramente sobre suas instalações. No A.T. também há algumas referências ao fogo no tocante à ira de Deus e ao Seu juízo contra o pecado. Isso, sem dúvida, culminou nos escritos sagrados que sugerem que o juízo divino consiste em fogo literal. Deuteronômio 32.22 assemelha a ira de Deus ao fogo. Seu ciúme e Sua ira consumiriam a terra inteira como uma grande fogueira (Sofonias 1.18). Naum 1.16 descreve que a ira de Deus será derramada como fogo devorador e em Gênesis 19.24 lê-se que as cidades de Sodoma e Gomorra foram destruídas por Deus através do fogo.

O fogo representa a força da presença de Deus. Em Êxodo encontra-se que muitas manifestações de Deus acompanhadas de fogo. Ezequiel 1.4,13 revela que o fogo representava a presença do Senhor, bem como a Sua glória, a sua proteção, a sua santidade e os seus juízos (II Reis 6.17, Deuteronômio 4.24 e Zacarias 13.9). Também leva-se em conta a sarça ardente, na experiência de Moisés, e da coluna de fogo, no deserto, que orientava o povo de Israel e representava a presença de Deus. A referência em II Reis 1.9-12 e 2.11 às carruagens e cavalos de fogo, diz respeito também à presença de Deus, que se manifestou e modo súbito em arrebatamento. A presença protetora de Deus evidenciou-se nos cavalos e nos carros de fogo, da experiência de Eliseu, em II Reis 6.17.

Assim, percebe-se o quanto que o fogo é aludido na Bíblia. Mas em Cânticos 8.6 o fogo simboliza o amor intenso de Deus e Hebreus 12.29 e Isaías 10.17 mostram que o fogo também simboliza a pureza, a majestade e o terrível aspecto de Deus. Jesus submete o seu povo à prova como se fosse um fogo e destrói os seus inimigos da mesma maneira, como em Malaquias 3.2.

Esta é a razão pela qual nós, Igreja de Florianópolis e suas vertentes [Igreja de Blumenau, Igreja de Camboriú, Igreja da Penitenciária e Igreja de Jerusalém] temos ido para muitas nações levar a tocha – acender o fogo da presença de Deus. As tochas, como discutido, incendeiam e são preciosas armas para combater o terreno inimigo. As tochas da presença de Deus sobre o local trazem vida e avivamento. Acendemos as tochas em igrejas, asilos, presídios, escolas, faculdades e em muitos pontos específicos das cidades que são oferendas satânicas ou que estão sobre a opressão de satanás e seus demônios.

Nesta conferência não discutiremos acerca das tochas, mas sim do precioso papel do ‘ide’ – o ir incendiar a terra com fogo para glória do Senhor. Canaã foi conquistada com o ´ide´ que é a obediência ao chamado específico de Deus para o Seu povo. Ao chegar próximo da localidade de Jericó, Deus apresenta uma estratégia de oração e intercessão ao rodear a cidade por sete vezes e ao som das trombetas e alaridos das vozes, no último dia, as muralhas da cidade iriam ruir. A conquista de Canaã teve como base a obediência a Deus e ás Suas estratégias. Tais atitudes foram tomadas pelo crer nas Palavras de Deus ao profeta e pela obediência do povo. Cada uma dessas atitudes foi estipulada pelo cumprimento do ‘ide’ para a conquista. A batalha antecede a vitória. O fogo antecede a guerra. É nestas conexões que toda a igreja está convidada a imergir num ‘cais’ de fogo’ em três dias de ministração, unção e revelação bíblica na conferência profética 2016.

Esperamos todos lá.

PR. ISRAEL BRAGLIA

/// MINISTRAÇÕES

PRELETORES - Pastores Adalberto e Luizita Braglia, Israel Braglia e Thiago Braglia.

LOUVOR E ADORAÇÃO – IF - www.ifoficial.com

/// CHAMADA

conf-profetica16-pub2

 

SERVIÇO

O quê: Conferência Profética

Quando: 15 – 17 de julho de 2016

Local: Apart Hotel Tropicanas (Praia de Canasvieiras, SC).

Investimento: R$ 225,00 (individual).

Inscrições: sedes das Igrejas de Florianópolis e Blumenau.

 

Igreja de Florianópolis – Proclamando a Verdade