No inverno de 2010 no meio de um evento realizado pela igreja, o Senhor expôs um desejo que, segundo Ele, ardia em Seu coração desde sua vinda ao mundo: que a Terra fosse incendiada com a chama de Sua presença (Lc. 12:49). Durante este evento, Ele citou alguns lugares específicos onde isto precisava acontecer naquele momento. A partir de então, algumas pessoas se dispuseram a ir até estes lugares em obediência, mesmo sem saber ao certo o que isto significava ou o motivo daqueles lugares escolhidos –, elas simplesmente se prepararam e partiram em direção a eles. Todas saíram com diferentes destinos, diferentes obstáculos e muitas dúvidas; porém, todas elas voltaram carregando consigo a mesma certeza: uma experiência com o sobrenatural de Deus! E hoje estou aqui para contar a minha

Eu e Gabriel partimos com destino ao Chile, mais especificamente ao Valle Nevado, a cadeia de montanhas que circunda sua capital, Santiago. Era nítido o cuidado do Senhor conosco em todo o decorrer da viagem; os lugares que visitamos, os amigos que nos receberam, tudo!

Em todas as coisas o Senhor encontrava uma forma de se revelar a nós. Não relatarei aqui toda a viagem. Creio que o relato da subida da montanha e a descrição do culto realizado no cume dela serão capazes de ilustrar o que esta viagem representa para nós.

Chegamos à estação de esqui Valle Nevado, que fica na base da montanha, num domingo, perto das  10h30 da manhã. O dia estava realmente lindo. O sol brilhava com intensidade e praticamente não havia nuvens no céu. Mesmo ali na base da montanha, a vista ao nosso redor já era com certeza a mais bela que os nossos olhos um dia puderam ver. Tratamos de vestir rápido as nossas roupas para o frio e iniciamos a subida. Pelo fato daquele domingo ser o último dia da temporada de esqui do ano, a estação não estava em plena atividade e funcionava com seus teleféricos apenas até a metade da montanha, com o restante até o cume isolado por seguranças  e cercas de isolamento. Como a direção do Senhor era de que fôssemos até o cume da montanha, decidimos que iríamos alcançá-lo de qualquer jeito, independente do que fosse acontecer. Percorremos a primeira metade do trajeto no teleférico e, chegando na metade da montanha nos dirigimos ao local onde os guardas e seguranças se encontravam. Aproximamos-nos daquele que achávamos ser o chefe e falamos algo mais ou menos parecido com isto:

“Olá! Somos brasileiros. Viemos porque Deus nos mandou chegar no cume daquela montanha para orar por vocês.” – Simples assim! E pasmem, a resposta dele foi exatamente esta: “Ok! Podem ir sem problemas. Orem por nós!”

A partir daquele momento confesso que realmente comecei a acreditar que Deus estava preparando algo especial para nós naquele local, pois nenhum segurança, em sã consciência, deixaria dois jovens estrangeiros se aventurarem sozinhos até o cume de uma montanha, sem nenhuma equipe de apoio por perto ou alguém para vigiá-los. Nós simplesmente olhávamos um para o outro sem conseguir acreditar no que os nossos ouvidos tinham acabado de ouvir. Mas, antes que o guarda tivesse a chance de mudar de ideia, nós já estávamos a caminho do cume. Caminhávamos sem acreditar que aquilo estava acontecendo de verdade, era uma alegria indescritível. Foi assim por um bom trecho do caminho, mas com o passar do tempo, quando estávamos chegando perto do topo, a neve começou a ficar mais pesada.

No topo do Chile

À medida que subíamos, o ar se tornava cada vez mais gelado e o frio era cada vez mais intenso. O cansaço passou a abater-nos. Já eram praticamente três horas da tarde e nós ainda não tínhamos comido nada. Pensamos, por diversas vezes, parar onde estávamos, desistir de tentar alcançar o topo, realizar o ato ali mesmo onde estávamos e voltar. Mas, por algum motivo, prosseguimos. E, quando chegamos no topo da montanha, aquilo que os nossos olhos viram, maravilhados, lá embaixo, na base, não chegou, nem se quer a um décimo, daquilo que nós podíamos ver naquele momento. Lembro-me que fui obrigado a sentar, porque queria simplesmente contemplar aquilo ao máximo, para que aquela cena ficasse gravada na minha mente para sempre. Era uma vastidão de montanhas que nos circundavam e seguiam rumo ao horizonte, até aonde os nossos olhos podiam alcançar.

No cume daquela montanha – naquele cenário perfeito, nós iniciamos um culto ao Senhor: uma bandeira foi erguida em Seu nome e o Senhor nos deu uma palavra, Isaías 40. À medida que líamos a passagem, o Senhor foi dando a revelação da palavra. Nós estávamos vivendo a visão do profeta naquele lugar! No monte alto, o sopro do Senhor desceu como uma avalanche e nós realmente sentimos que nada permaneceria de pé diante da chama da Sua presença. Permanecemos ali, naquele espírito, adorando por quase uma hora e, confesso que, naquele lugar, sentindo o fogo dEle arder em nossas mãos e em nossos corações como uma tocha acesa, passei alguns dos momentos mais intensos de toda a minha vida. Acreditem…

Se você sente este mesmo fogo arder em seu interior, saiba que você também é um carregador da chama de Deus. O que está esperando para incendiar esta terra?

“Eu vim para lançar fogo sobre a terra e bem quisera que já estivesse a arder.” (Lucas 12:49)

- Bruno Eduardo de Mello