Era uma tarde chuvosa de janeiro. Eu estava cansado do fardo que estava carregando. Fui para o meu quarto ler algum livro. Não consegui. Liguei o som, não sabia o CD que estava dentro. Apertei o play e deixei tocar. Três segundos depois as palavras daquele som inundaram meu coração. Passei a orar aquela canção:

Mas o mal que eu não quero fazer, esse eu faço Senhor, e o bem que eu quero fazer, esse eu não consigo fazer Senhor.
O meu interior tem prazer na lei de Deus, mas quando sou tentado, falho vez após vez. Miserável homem que sou, não mereço viver, pois o bem que eu quero não consigo fazer.
O mal que eu não quero fazer, esse eu faço Senhor, e o bem que eu tento não consigo meu Deus. Descobri que sou falho mesmo quando acerto um espinho na carne, um inimigo por perto.
Mas aqueles que sob a graça estão, favor não merecido não mais condenação
Dêem glórias a Deus pela graça dos céus
Diga o fraco sou forte no Senhor.
Tua graça me basta.

© 2007. Leonel Line. Sérgio Saas.

Essa era a minha oração diante de Deus naquele momento. O meu pecado e o meu afastamento de Deus geram barreiras que me afastam da presença do Senhor e dos propósitos Dele para mim. Às vezes é necessário parar para preencher o vazio que está dentro de nós, pois podemos estar tão envolvidos com as coisas desse mundo e também com as atividades do Reino de Deus que acabamos nos esquecendo da presença de Deus. Sem perceber, estamos andando solitariamente carregando fardos enfadonhos, cheios de preocupações e ansiedades, o que nos leva a tomar atitudes não agradáveis a Deus e que acabam resultando nas obras da carne e não nas do Espírito.
Efésios 4.22 nos ministra a seguinte palavra:

“Quanto a antiga maneira de viver, vocês foram ensinados a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos, a serem renovados no modo de pensar e a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade provenientes da verdade”.

Para que a graça do Senhor nos basta, é preciso estar revestido do novo homem. Medite sobre esta palavra, e quando puder, pare para orar e meditar a sua vida diante de Deus. Vamos voltar à Deus enquanto é tempo.

– Israel Braglia