Querer entender o tempo é como querer entender Deus. Deus é o Senhor do tempo. Não há como entender Deus, mas há como amar a Deus e viver Seu tempo.  Nós decidimos amar a Deus acima de todas as coisas e descobrimos um novo universo – o universo de Deus.

Hoje se completam nove anos da saga de uma pequena parte da “nação do pentecostes” chamada Igreja de Florianópolis. Há exatamente 3288 dias atrás estávamos com um pequeno grupo numa garagem clamando ao Senhor pelo cumprir de um novo tempo e de um novo sonho – uma igreja restaurada que fosse capaz de agradar o coração do Senhor do tempo.

O Senhor do tempo ouviu o nosso clamor e nos deu um monte para documentar a nossa trajetória pelo tempo (digo repetidamente pelo tempo, pois o tempo é algo ilimitado à natureza terrestre. Ele não se limita ao natural, ele ultrapassa o sobrenatural. O tempo é a excelência de Deus desenhada em eras e é habitado por humanos, anjos e demônios. Por ser puramente divino, o tempo é incompreensível ao homem).  Em nove anos vivemos Eclesiastes 13 – a ditadura do tempo: tempos de deserto, tempos tempestuosos, tempos de dor, de cirurgias naturais e espirituais, tempos de guerra, tempos de cansaço e desgaste, tempos de otimismo, tempos de esperança, tempos de bonança, tempos de reação, dias de glória, dias de vitória, tempos proféticos – tempo de Deus.

Não entendo o que realmente o tempo significa para Deus, mas para mim, o tempo de Deus para o sim ao chamado do Senhor de Adalberto e Luizita Braglia é como um bálsamo de cura para uma igreja inteira. Em 9 nove anos fomos curados espiritualmente, fomos remidos profeticamente, fomos capacitados apostolicamente e fomos honrados naturalmente. Mesmo ainda enfrentando enfermidades e grandes desafios, o Deus dos céus usa o tempo como medida de cura e de dependência do Seu poder sobre nós. O grande Eu Sou nos basta. Adar é a trajetória do tempo de vitória.

Não quero entender o tempo de Deus, quero viver o tempo de Deus.

Ilusão? Não! A unção que emana do coração do Senhor Jesus, encharcada do óleo mais precioso que desce como orvalho numa noite fria e transpõe a supremacia da graça do amor exposto na cruz e que é derramada sobre o altar em cada toque do Espírito da Verdade sobre a Igreja, é a expressão evidente de que o tempo de Deus para a família I.F é sim, como o caminho sobremodo excelente de I Coríntios 13.

Bondade e misericórdia nos perseguem todos os dias.

Quero, então, expressar minha profunda gratidão ao Senhor Jesus por me permitir viver o Seu tempo desbravando a montanha de glória e vida da Igreja de Florianópolis.

São nove anos subindo o Monte Adar. São Nove anos unidos pelo mesmo amor. São nove anos de um novo universo – do nosso universo – Jesus Cristo, esperança e glória!

Pai e Mãe, hoje lançar o novo livro é manifestar o cumprimento do propósito de Deus registrado nesse tempo desenhado por Ele para nós – só para nós.   Onde era tristeza se vê a alegria nos ornar. O choro durou certo tempo, mas o jubilo nos alcançou. Afinal, quem não nasce chorando? Que não cresce “caindo”?  Quem não aprende errando? Para ser curado é preciso estar enfermo. A cura chegou. A colheita chegou. Alegrem-se, entrem no gozo do nosso Senhor. Hoje a festa é de vocês!

Nessas 72 horas os céus se abrirão e um novo tempo marcará uma nova unção sobre a Igreja de Florianópolis. Vinho novo, tempo novo. Deus estendeu o Seu cetro sobre nós alargando a nossa tenda e expandindo o nosso chamado para mais Dele. Existe mais de Deus. Corramos, então, atrás do Senhor do tempo – o nosso único e verdadeiro universo.

Obrigado por serem quem são.

Amo vocês.

 

Israel Braglia

 

Florianópolis-sc, 09 de abril de 2009